google-site-verification=aBKq9w_3N0XA4_HVszxbG2XoZSXV8tnvg1ggROlmDVE G-1ND47R3WN7 AW-610993973 G-0CWCQXJYR1
top of page

Então o Video Marketing?

Atualizado: 7 de mai.

Video marketing: Estratégia? Tática? Para 2024?


Videografo

É uma tática de marketing para criar conteúdo para promover produtos, serviços ou a marca, assim como para promover notoriedade e visibilidade.


Uma tática? Sim, claro!


Uma estratégia é algo de longo prazo e, regra geral, o vídeo é utilizado para responder a necessidades de curto prazo e está integrado numa estratégia de comunicação (ou de Marketing).


Hoje, o seu poder, está diretamente relacionado com o fato de ser uma das formas de conteúdo mais consumidos no digital.

Apesar de também o ser em muitos outros canais.

E quem anda nesses meandros do digital, como consumidor, que diga o contrário.


Cá para os marketers, que se preocupam com os dados e as estatísticas (dados - o poder do século XXI), importam algumas considerações (www.wyzowl.com/video-marketing-statistics/ ):

  • A nível global 91% dos negócios utilizam o vídeo como uma ferramenta de marketing

  • 👨‍🎓️ 91% das pessoas viu um tutorial em vídeo para saber mais sobre um produto ou serviço.

  • 🙋 89% dos consumidores desejam ver mais vídeos de marcas em 2024.

  • 💬 Quando questionados sobre como gostariam de saber mais sobre um produto ou serviço, 44% dizem que gostariam mais de assistir a um pequeno vídeo.

  • A média global de consumo de vídeo é de 17 horas por semana.


Não é preciso dizer muito mais como argumento para utilizar o vídeo na sua estratégia de marketing e táticas de comunicação em 2024.


Então o vídeo marketing é para anúncios?


Tem no poder do vídeo alcançar e manter o contato com as suas audiências, bem como transmitir mensagens de forma apelativa, e no meio em que as audiências hoje dispendem mais tempo (e por isso estão mais permeáveis ao seu conteúdo).


Como qualquer tática, o seu objetivo último está em sintonia com a estratégia de marketing, seja: gerar notoriedade para a marca, gerar leads e, em última instância, vendas.

Hoje as táticas de vídeo marketing são realizadas através de plataformas digitais, como as redes sociais, ou nos sites das marcas e produtos/serviços.


Nos seus diversos formatos, vai para além de anúncios.


O desenvolvimento de uma solução de vídeo marketing inclui todos os tipos de vídeos de branding, o que inclui os anúncios, mas também, por exemplo, os "webinars", as transmissões "live", ou os testemunhos, ou a utilização deste tipo de suporte em apresentações e feiras setoriais, por exemplo.


O conteúdo é uma das melhores formas de criar ações de marketing de largo impacto e que atraia e retenha as suas audiências.


Porque é importante incorporar o vídeo na sua estratégia de marketing digital?


Começa por ser a forma de conteúdo que mais é consumido nas diferentes plataformas.


Câmara a filmar testemunho

É o que tem Maior Envolvimento

É mais fácil de envolver e interagir com as diferentes audiências. E é mais eficaz que as alternativas de, por exemplo, fotos ou texto.

Vídeos curtos (shorts) são uma forma de desenvolver uma resposta emocional com a audiência, que é uma forma de desplotar uma interação.


Tem boas Taxas de Conversão

Ao terminar o vídeo com uma CTA ("Call to Action") incentiva o consumidor a agir e a cria a possibilidade de o converter em cliente.

E quando o conteúdo já criou o envolvimento, estimular a ação é mais simples.


Melhora o SEO do seu site e outro conteúdo

Ajudam a que as audiências permaneçam mais tempo nas páginas (p.ex. Landing Pages), melhorando o seu "ranqueamento" (page rank). Reduz os "abandonos" precoces da página e pode conduzir a outros espaços na plataforma.

As plataformas centradas no vídeo, e o próprio Google, encontram estes conteúdos.

E plataformas centradas no vídeo, como o Youtube, já funcionam como motores de busca de informação, o que pode significar aparecer onde alguns dos seus potenciais clientes estão à procura, nem que seja de informação.


Marca uma marca (Brand)

A criação e manutenção de uma marca é o que o vai distinguir da concorrência.

Principalmente em mercados saturados. Isto permite destacar-se e incrementar vendas e reconhecimento.

Tanto que o vídeo é um conteúdo que estimula a partilha e, talvez, o tipo de conteúdo que faz crescer o envolvimento. E então nos dispositivos móveis e nas gerações mais novas...

E a capacidade do vídeo em criar vínculos emocionais, criar confiança e estimular o contato é ótimo para a estratégia de marketing e de branding. Desde que seja autentico (veja os influenciadores).


Melhora a Experiência do Cliente

Como é uma forma de consumir o conteúdo que não exige grandes "gastos de energia" por parte das audiências, e o tempo dispendido é controlado e mínimo, o vídeo é "fácil" de consumir.

E se for reunido com a informação útil para o consumidor (ou o potencial consumidor), as resistências são mínimas.

Tutoriais e vídeos de instruções sobre um produto ou serviço, são um claro benefício para a experiência do cliente. E destrói barreiras à entrada.


Outro benefício a retirar é a sua versatilidade.


Equipa a planear vídeo

Que formato de vídeo então utilizar?


Há soluções para todas as necessidades:

  • Criados pelos consumidores (UGC - User Generated Content)

  • Educacionais

  • Explicativos

  • DIY

  • Demonstrações

  • Testemunhos

  • Diretos:

  • Transmissões em direto (live)

  • Vídeos de eventos

  • Entrevistas

  • Plataformas como as Redes Sociais

  • Animações

  • Com instruções

  • Exemplificativos

  • Entretenimento

  • Institucionais (mais formais)


E como abordar esta criação de conteúdo?


Antes de mais, não aborde a questão com uma solução "amadora".

O seu produto/serviço é amador?


Se não é, também não pode ser a forma como contata com a sua audiência.

E os vídeos podem gerar 300% mais tráfego que outras formas de conteúdo.


Depois, isto enquadra-se numa estratégia de marketing.

É a tática que a operacionaliza.

Por isso vamos seguir algumas regras e estrutura.


Quais os objetivos e quem é a audiência?

Com a sua estratégia criou objetivos. Como pode esta ferramenta responder e enquadrar-se nesses objetivos?

Aqui vai manter a sua coerência com a audiência e com os seus outros objetivos de negócio.


Qual é o problema que resolve à sua audiência?

Criar soluções soltas, e sem um propósito, pode revelar-se um investimento com um retorno aquém do desejado. Assim como uma fraca rentabilização. Já para não falar nos efeitos que pode ter na marca.

Os vídeos que produzir têm de se enquadrar nestes objetivos, assim como nos objetivos de comunicação para a empresa, produto ou marca.


Para quem?


Jovens a utilizar smartphone

Depois de enquadrar nas necessidades táticas, vamos enquadrar com a audiência para quem serão desenvolvidos os conteúdos.


A forma do vídeo conseguir gerar as respostas de que já falamos é estar enquadrado no que se conhece da audiência e como pode impactar fortemente.


Analise e fique a conhecer o seu alvo profundamente.

Desenvolva estudos e conhecimento sobre ele; crie uma "buyer persona", conheça as suas caraterísticas (demográficas, os comportamentos, interesses ou pontos sensíveis e o que procura).

Como em qualquer outra atividade de negócios, depois desta análise, deverá ser capaz de definir os objetivos de performance que pretenderá atingir com esse conteúdo (KPI).


Crie uma estratégia de Vídeo Marketing!


O que é isso? Então não era uma tática?


Siga a sua estratégia de conteúdos e de comunicação. Reveja o que se alinha com a sua marca, produto/serviço.

Defina que tipo de conteúdo, a sua frequência e para que plataformas tem de ser desenvolvido.


Planeie os formatos e as keywords que podem ser mais relevantes para o seu caso. As palavras-chave são importantes porque vão se relacionar com as pesquisas que as audiências realizam (mesmo que num motor de busca ou plataforma vídeo).


Lembre-se sempre que os conteúdos devem se adequar também à plataforma em que vão ser distribuídos. Talvez estas sejam as plataformas que identificou e que as suas audiências mais utilizam.


Tudo isto identificado, comece a criar ideias de conteúdo e a desenvolver um calendário de conteúdo com as publicações. Ao criar um plano anual, está a transformar o vídeo numa estratégia.

Não esquecer que todas as peças devem estar de acordo a identidade e as regras para a sua marca ou produto.


Antes de filmar...

Antes de começar a fazer, mais uma vez, o planeamento.

Nunca comece sem antes fazer esta parte do exercício.


A falta de planeamento vai fazer com que gaste recursos e tempo, e pode resultar em algo que não responde às suas necessidades.


Selecione o conceito e o que deve respeitar de acordo com a estratégia que definiu.

  • crie um guião

  • mantenha a fluidez e a "conversa"

  • tenha um "anzol" desde os primeiros segundos (muito importante)

  • descreva a direção da "história" e das cenas

  • conduza a um CTA

  • mantenha atenção à duração (qual o objetivo e a plataforma?)

  • Crie, reescreva e ensaie (peça a opinião de outros)

  • mantenha o vídeo com 30 segundos ou menos (menos é sempre mais)


Agora é fazer (a produção)...


Operador de Câmera

Esta é a parte decisiva para ter um bom resultado.

Filmar e editar.

Colocar legendas e criar uma capa ou "thumbnail".


Se não tem a certeza de conseguir levar a cabo esta parte da tarefa, confie numa equipa mais profissional. O resultado vai justificar e vai resolver outros problemas e o tempo que vai ser necessário (assim como o equipamento).

Uma das queixas dos marketers é falta de tempo para se dedicar a esta tática. Uma equipa profissional é a solução.


"🤩 87% dos consumidores afirmam que a qualidade do vídeo afeta sua confiança na marca." fonte Wizoul. 


Se consegue fazer com a sua equipa, avance!

Não perca é o rumo e o objetivo definido.


Inclua os elementos visuais necessários na pós-produção que reforcem a ligação com a marca/produto.

Nesta fase tem de estar presente que a coerência é fundamental nas atividades de comunicação para que a marca se distinga entre todo o ruído deste mundo.


Agora publique e promova


Não deixe de criar o título e a descrição, já que estas são bem importantes para o SEO, como já falamos antes.

As legendas também são importantes pelo mesmo motivo, mas também porque asseguram que, quando necessário (por exemplo quando alguém não pode ouvir o áudio) continua a receber toda a mensagem. Assim como os motores de busca e as plataformas (que também vão "ler" esta informação).

Promova o conteúdo nas redes sociais ou no site. Sempre adaptando o formato para cada uma delas.

Reaja a todas as interações e comentários, como se fosse uma comunidade em torno do seu conteúdo.


Quanto mais conteúdo publicar, maior o número de reações, e melhor irá compreendendo quais os tipos de conteúdo a que a sua audiência melhor reage. Pistas para o futuro ou melhorias para a sua estratégia.


Boas práticas


Verificando uma checklist

Mesmo seguindo os conselhos que aqui descrevemos, há mais para que um vídeo seja um conteúdo com conversões.


Convém não esquecer alguns outros aspectos:

  • Mantenha o conteúdo objetivo e de curta duração

  • Use uma mensagem clara e coerente

  • "menos é mais" (sim, também aqui!)

  • Conte uma história, crie uma emoção

  • Inclua sempre os elementos da marca e o CTA



Uma fonte de resultados, facilmente.


O vídeo é uma fonte de resultados, se bem feito.

Sejam vendas, notoriedade da marca, relacionamento com os consumidores, seguidores...


Mas se for de má qualidade, vai afastar a audiência de vez.

Ninguém quer desperdiçar o seu tempo a ver um filme tremido ou com má imagem ou som.


Lembre-se que pode reutilizar vídeos através de plataformas, sempre de acordo e adaptado à sua estratégia de conteúdos e de comunicação (e a cada plataforma).



Esta será a sua melhor estratégia para 2024.


As plataformas exigem vídeo, e os seus clientes e audiências também.

E num mundo sempre a correr, agarrado a um écran, o melhor é proporcionar o conteúdo que, afinal, todos procuramos.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page